terça-feira, fevereiro 14, 2006

Técnicas revolucionárias de aprendizagem


Diante da crescente quantidade de informação produzida no mundo, torna-se cada vez mais difícil para uma pessoa manter-se actualizada, especialmente se forem utilizados os métodos convencionais de ensino e aprendizagem. Com o advento da rede mundial de computadores - a internet - o problema começa a deixar de ser a obtenção da informação, passando a ser: como transformar tanta informação em conhecimento? Como aprender tudo o que se precisa saber para poder agir com eficácia e eficiência nesta sociedade global? Como desenvolver uma visão profunda e holística do Universo, evitando mergulhar na mera especialização crescente, na qual se sabe cada vez mais sobre cada vez menos?

A saída para o ser humano é a utilização de nossos recursos não conscientes, uma vez que, conforme uma das pressuposições da PNL (programação neuro-linguística), "já dispomos de todos os recursos internos de que necessitamos", faltando apenas sermos capaz de utilizá-los nos momentos e contextos apropriados.

O século XXI será marcado pela utilização maciça de recursos não conscientes na aprendizagem, pois a mente consciente não mais será capaz de lidar, sozinha, com a crescente complexidade da rede de informações disponível para o ser humano.

E essa mudança teve origem há aproximadamente 40 anos atrás...

Bulgária, Década de 60: a Aprendizagem Acelerada
A partir de estudos iniciados na década de 60, um médico búlgaro - Dr. Georgi Lozanov - criou um método de instrução altamente eficiente, baseado na aplicação de elementos da Teoria da Sugestão à aprendizagem em sala de aula. A sua disciplina, denominada Sugestologia, tratava do "estudo científico da sugestão", com vistas ao aproveitamento do potencial do cérebro, inicialmente para fins militares. A sua aplicação à aprendizagem foi denominada Sugestopedia.

Em 1966, o governo búlgaro autorizou a abertura de um Centro de Sugestopedia em Sofia, com o objectivo de aprofundar as aplicações daquela disciplina, especialmente no ensino de idiomas estrangeiros. Lozanov utilizava técnicas de relaxamento oriundas da yoga, além de aplicações inusitadas da música clássica.

Lozanov acreditava na existência de reservas presentes nos seres humanos, as quais podem ser activadas através de actividade mental inconsciente. Sabemos que tal tipo de actividade mental pode ser provocada a partir do poder da sugestão.

A análise do método utilizado por Lozanov permitiu determinar os principais pontos do mesmo:

- apresentação do material didático à mente consciente dos alunos, de modo a despertar a curiosidade e manter o interesse;
- apresentação do material didático à mente não consciente dos alunos, utilizando música e respiração rítmica para induzir um estado de relaxamento favorável à absorção dos conhecimentos;
- activação do material absorvido, através de actividades que objectivam trazê-lo à consciência.

Pode-se dizer, então, que um método utiliza os princípios da Aprendizagem Acelerada se ele inclui essa sequência de procedimentos acima.

Inglaterra, Década de 70: Os Mind Maps®
Na década de 70, o inglês Tony Buzan criou uma ferramenta simples, porém revolucionária: o Mind Map. Alguns livros traduzem essa expressão como "Mapa Mental", o que é a nosso ver uma tradução literal inadequada.

O Mind Map é um tipo de desenho utilizado para organizar e memorizar um assunto ou conhecimento.

O que um estudante faz, quando quer aprender uma disciplina? Normalmente lê a matéria e, em seguida, elabora um resumo. Ocorre que, conforme estudos realizados sobre o cérebro, os resumos verbais sensibilizam primordialmente o hemisfério cerebral esquerdo, enquanto as figuras e cores de um Mind Map vão sensibilizar também o lado direito do cérebro. Dessa forma, é interessante substituir os tradicionais resumos escritos pelos desenhos criados por Buzan.

Estados Unidos, Década de 80: A Leitura Fotográfica
Em 1986 o americano Paul Sheele, de Minneapolis, iniciou o ensino de uma técnica por ele denominada PhotoReadingä, ou FotoLeitura. Neste método o praticante examina o material a ser estudado, com o objectivo de adquirir um conhecimento inicial do assunto e, principalmente, de despertar sua própria curiosidade e desenvolver a motivação necessária ao passo seguinte. Em seguida, o praticante simplesmente olha para as páginas do livro, depois de entrar em um estado de relaxamento e utilizando uma forma especial de dirigir o olhar para as páginas. Esse procedimento é executado à velocidade aproximada de uma página por segundo. Finalmente, depois de dormir uma noite e deixar que o material seja integrado, o praticante passa à terceira fase, na qual o material absorvido é ativado, ou seja, trazido gradativamente à consciência do "fotoleitor".

É interessante notar que essa "leitura fotográfica" pode ser considerada um método derivado da aprendizagem acelerada, uma vez que utiliza os três passos básicos da sequência de Lozanov: apresentação do material à mente consciente, exposição do material à mente inconsciente e ativação - recuperação do material para a mente consciente.

Brasil, Década de 90: A Leitura Acelerada
A partir das idéias de Buzan, desenvolvemos os conceitos de Memoforma® e Memograma®.

Uma Memoforma é qualquer recurso destinado a facilitar a memorização. Quando você lê um texto e produz um resumo, com o objectivo de memorizá-lo, esse resumo é uma Memoforma. Não é necessário que uma Memoforma seja um objecto palpável: se você visualizar um procedimento, através de uma série de imagens, com o objectivo de memorizar os passos para a sua execução, esse "filme" mental também será uma Memoforma. E assim, são Memoformas: textos, desenhos, diagramas, objectos, colagens, pinturas, lugares, posturas corporais, etc. Na verdade, qualquer coisa que seja deliberadamente associada a um conteúdo a ser memorizado poderá ser considerada uma Memoforma.

Um Memograma é uma memoforma expressa sob a forma de um diagrama.

Então, um Memograma é inicialmente muito parecido com um Mind Map. Conforme você se desenvolve na construção e utilização desses desenhos, muitas coisas vão acontecendo. Num certo momento, esses desenhos não mais ficarão no papel. Ficarão dentro do seu cérebro. Você construirá uma biblioteca na sua mente, e arquivará os desenhos em estantes, corredores e salões virtuais. E, quando precisar do conhecimento contido em um deles, você irá buscar o desenho e o consultará. E isso acontecerá gradativamente, conforme você praticar.

Você pode usar técnicas de imaginação e auto-hipnose para acelerar esse processo. Pode criar figuras metafóricas que o ajudem a sensibilizar sua mente inconsciente. Eu gosto de trabalhar com o Modelo de Partes. Acredito que tenho uma parte inconsciente que me ajuda a aprender, e falo com ela. Outras pessoas não acham que possuem partes. Preferem falar com guias interiores: um velho sábio, por exemplo, que é capaz de orientá-las na aprendizagem. Outras, ainda, preferem simplesmente entrar em transe hipnótico e pedir à sua mente inconsciente que cuide de tudo para elas. Cada um deve usar a técnica que funcione melhor para si.

E, se você combinar os Memogramas, as idéias da Leitura Fotográfica e as técnicas de acesso à mente inconsciente, você terá a Leitura Acelerada. Nós ensinamos essas técnicas desde 1995, em nosso "workshop" Aprendizagem Acelerada. Mais de quinhentas pessoas já passaram pela experiência de serem introduzidas a esses conceitos revolucionários.

Século 21: o Inconsciente na Aprendizagem
No século que adentramos, a sobrevivência pessoal e profissional de cada um de nós estará vinculada à capacidade de utilizar recursos inconscientes actualmente guardados sob a forma de potenciais não desenvolvidos.

Texto original da autoria de Maurício Aguiar, Engenheiro, Analista de Sistemas e Master Practitioner em PNL. Coordenador do Grupo de Interesse em PNL da SUCESU-RJ. Especialista em Aprendizagem. Co-autor do livro "Aprendizagem Acelerada", Editora Gente.
As técnicas aqui descritas são aplicadas no MentalGinasium e no Ginásio de Aprendizagem do Instituto da Inteligência.